Embaixador Chinês Gong Tao Publica no País Artigo Titulado "A China Solidariza-se Com Angola e Comunidade Internacional Na Luta Contra o COVID-19"
 
2020/04/18

Em 17 de Abril de 2020, o País publica artigo escrito por Embaixador Gong Tao, titulado "A China Solidariza-se Com Angola e Comunidade Internacional Na Luta Contra o COVID-19". O texto inteiro segue-se em seguinte:

Nos próximos dias, avião de carga cheio de materiais anti-epidêmicos, que são doações do governo chinês e da Fundação Alibabaa amizade do povo chinês aos irmãos angolanos, chegarão a Angola e serão entregue às autoridades relevantes de Angola. Especialistas da China realizarão uma videoconferência com parceiros angolanos sobre a prevenção e controlo do COVID-19. Doações e reuniões desta escala já são a segunda vez, e demonstram a amizade entre irmãos China-Angola.

Desde a entrada ao estado de emergência, Angola tomou uma série de medidas poderosas e eficazes para conter a propagação da pandemia. As autoridades sanitárias angolanas realizaram conferências de imprensa para apresentar a situação epidêmica e as medidas preventivas no país, durante o qual, foi afirmado que a China é amiga de Angola com grande apoio e ações práticas às actividades antiepidêmicas em Angola. O PR João Lourenço elogiou os jovens angolanos que a partir da China via TPA transmitem sua experiência e autodisciplina. As empresas e comunidades chinesas em Angola também participaram ativamente nos projetos locais da prevenção do COVID-19. Eles fizeram doação com equipamentos médicos e bens essenciais às autoridades locais, à Polícia e ao Centro Comunitário Infantil.em Luanda, Bengo, Kwanza Norte, etc. E ajudaram a concluir rapidamente e com êxito a restauração e instalação dos hospitais em Huambo, Huíla e Namibe, e muito mais... Como embaixador chinês em Angola, estou muito satisfeito em testemunhar tudo isto. É de facto a cristalização da amizade tradicional China-Angola e uma relação verdadeira da assistência mútua.

O Presidente chinês Xi Jinping enfatizou que o governo e povo chineses não têm medo do perigo e sempre colocam a vida e a saúde do povo em primeiro lugar. Depois de muito trabalho e grandes sacrifícios, a situação atual da prevenção e controlo da epidemia na China continua a melhorar, e a ordem da produção e da vida se acelerou e recupera a normalidade. Ainda assim, não podemos ficar relaxados. Diante da disseminação do COVID-19 em todo o mundo, o que a comunidade internacional mais precisa é da confiança firme, esforços conjuntos e resposta unida, fortalecendo de forma abrangente a cooperação internacional e unindo forças para superar a epidemia e vencer essa luta.

Um provérbio chinês disse: oferce-me um pêssego, e retribuo com vinho. No momento mais difícil quando a China lutou contra o vírus, Angola e muitos membros da comunidade internacional nos deram ajuda e apoio com solidariedade e sinceridade. A China vai sempre lembrar e valorizar essa amizade. A assistência antiepidêmica é uma parte importante da cooperação conjunta internacional. O fornecimento activo da assistência externa à epidemia é um requisito inevitável para a China assumir sua responsabilidade internacional e praticar o conceito de uma comunidade de destino comum da humanidade.

Atualmente, a China prestou alta importância na ajuda humanitária e já ofereceu assistência antiepidêmica a 53 países africanos, 30 países asiáticos, 22 países europeus, 24 países americanos e 10 países do Pacífico Sul. Os materiais de auxílio incluem principalmente equipamentos antiepidêmicos, como kit de teste, máscaras, roupas e óculos de proteção, detecção de temperatura corporal, luvas médicas e capas de sapatos, ventiladores e outros equipamentos de diagnóstico e tratamento. Foram enviados 14 grupos de médicos especialistas para países com epidemias graves, como Itália, Paquistão e Rússia...Além disso, muitos governos locais, empresas, instituições privadas e indivíduos da China também participaram de operações de ajuda externa.

Esta gigantesca ajuda tem sido a ação humanitária de emergência mais concentrada e extensiva desde a fundação da República Popular da China em 1949. A China ganha elogios extensos e merecidos da comunidade internacional. Atualmente, a situação epidêmica global ainda está em desenvolvimento, e a China no momento crítico de "evitar a importação externa dos casos e defender o resurgimento interno da pandemia". Mesmo assim, a China continuará a fornecer aos países assistência. A acção da China é um apoio firme à luta antiepidemia da Angola e da comunidade internacional, uma contribuição positiva à segurança da saúde pública global, como também uma manifestação de um país responsável que defende seu conceito de construção de uma comunidade de destino comum. Afinal, pertencemos todos ao mesmo planeta e estamos no mesmo barco.

Ao terminar, quero enfatizar que, para combater o COVID-19, o papel da Organização Mundial da Saúde é mais importante do que nunca. Sem cooperação internacional, não podiamos resolver esta crise. O diretor-geral da OMS, Dr. Tedros Ghebreyesus, é africano e reconhecido pelo seu profissionalismo e liderança. A China apoia firmemente a OMS, com doação de 20 milhões de USD, e concorda com a declaração do Secretário-Geral da ONU, António Guterres, de que "a OMS deve ser apoiada, o que é absolutamente essencial para o esforço global para superar o COVID-19".

Suggest to a friend
  Print
©2009 Embaixada da República Popular da China Todos os Direitos Reservados